6 de septiembre, 2019

O Centro de Formação Paulo Freire, está para ser despejado

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) solicitou à justiça a reintegração de posse contra o Centro de Formação Paulo Freire, localizado no Assentamento Normandia, na cidade de Caruaru/PE.

O juízo federal da 24ª Vara Federal de Caruaru, aceita o pedido do INCRA e determina imediata reintegração de posse, ”caso não haja a desocupação espontânea do executado no prazo concedido, expeça-se mandado de reintegração na posse, ficando desde já autorizado: a) o uso de força policial, b) o arrombamento, se necessário, c) condução coercitiva do executado para a DPF, em caso de resistência, d) a remoção dos bens móveis que estejam no imóvel e) remoção dos animais para o «Curral de Gado» do Município de Caruaru/PE, ficando desde já autorizada a doação ou o abate desses semoventes.”

Lembrando que o centro de formação pertence ao Assentamento Normandia, que foi criado em 1998, mas em função de todo conflito e de todo processo, foi orientado pela equipe técnica do INCRA que a casa sede fosse utilizada de forma coletiva para a capacitação e formação dos assentados do Estado de Pernambuco e assim foi feito.

Logo após a criação do assentamento e em comum acordo com o INCRA, a cooperativa dos assentados repassam a casa sede, e mais 14 hectares para criação de um espaço de formação e capacitação dos assentados de todo Estado de Pernambuco.

Ainda em 1999 foi  criado oficialmente o Centro de Formação Paulo Freire, e a partir daí tem todo um processo de tentativa de legalizar a área para o Centro de Formação. O Centro constituiu uma entidade jurídica chamada Associação Centro de Capacitação Paulo Freire que tem como objetivo administrar e coordenar o Centro de formação.

O referido Centro de Formação deixou de ser um espaço do estado de Pernambuco para passar a ser um espaço de formação do nordeste e nacional,  temos hoje parceria com a prefeitura de Caruaru, onde funcionam duas turmas de ensino fundamental, temos parcerias com o governo estadual em que conjuntamente realizamos o curso “Pé no chão”. Hoje estamos realizando a 37ª turma. O Pé no Chão é o principal curso oferecido Pelo Centro. O Pé no Chão é um curso realizado em três etapas, tendo como base vivências e práticas em agroecologia, o curso é oferecido às pessoas de todas as idades que vivem nos acampamentos e assentamentos do estado.

Entendemos que não há razão nenhuma para o INCRA pedir a reintegração de posse, a não ser a motivação ideológica de tentar impor ao MST uma derrota no Estado de Pernambuco, então, nesse momento, estamos tentados buscar todas as formas possíveis para impedir que essa insanidade possa ocorrer contra o Centro de Formação Paulo Freire e o Assentamento Normandia. Portanto, o juiz determina que toda área comunitária seja destruída. Vale lembrar que nesse espaço termos 3 agroindústrias que pertencem à cooperativa agropecuária de Normandia, a agroindústria de beneficiamento de carne, raízes e tubérculos, Pães e bolos, que pertencem ao CPA do coletivo de boleiras.

A destruição de tudo isso seria um retrocesso enorme. Diante da tragédia que se anuncia, estamos convocando a todas e todos para nos ajudar a salvar o Centro de Formação Paulo Freire.

Direção do MST em Pernambuco


Si desea recibir más noticias de CLACSO:

a nuestras listas de correo electrónico.