Campo Temático: Políticas educativas y derecho a la educación

Grupo de Trabajo: Universidades y políticas de educación superior

Persona responsable de la inscripción: António Teodoro

1. Nombre del Grupo de Trabajo.
Universidades y políticas de educación superior
2. Ubicación crítica del tema en el contexto y en la política pública latinoamericana y caribeña y en relación con la dinámica global.

A criação de redes institucionais tem contribuído decisivamente para os processos de construção e consolidação das ciências sociais, no seu conjunto, e da educação, em particular. Esses processos podem ser explicados no quadro da chamada sociedade do conhecimento e da reflexividade social. Ambos os fenómenos - a configuração de uma sociedade em rede e o acesso crescente à informação - são o produto de um tempo em que os produtores de redes sociais e de conhecimento vivem, ao mesmo tempo, as experiências concretas que permitem a construção dessas redes e desse conhecimento partilhado.

Em 2006, um conjunto de nove centros de investigação, reunindo cientistas (e militantes) sociais de diferentes campos – educação, sociologia, antropologia, ciência política, economia – e de diferentes países (Argentina, Brasil, Espanha, México, Paraguai e Portugal), apresentou uma proposta de constituição de uma Rede Iberoamericana de Investigação em Políticas de Educação (RIAIPE) ao Programa Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento (CYTED), existente no âmbito da Organização dos Estados Iberoamericanos (OEI). Aprovado para financiamento durante um período de quatro anos, a Rede iniciou os seus trabalhos no início de 2007.

A rede RIAIPE, nessa primeira fase, teve como objetivo central coordenar a investigação no campo da análise das políticas educativas, que as equipas que a integraram desenvolviam. Pretendendo construir um quadro teórico e analítico que permitisse mapear e analisar as políticas públicas de educação das últimas décadas – tanto as conduzidas pelos governos, como as propostas e projetos das mais influentes agências globalizadoras ou dos movimentos sociais e administrações locais, a Rede estabeleceu como objetivo geral o de reforçar (e coordenar) a investigação realizada sobre os impactos da globalização nas políticas públicas de educação, em particular nos domínios da inclusão e da equidade, nos países integrantes do espaço ibero-americano a que as equipas integrantes pertenciam. Tomando como referência esse mapeamento, pretendeu-se desenvolver um conjunto de indicadores que privilegiassem as dimensões da inclusão e da equidade nas políticas públicas, que pudessem ser apresentados em contraposição a indicadores hegemónicos construídos no âmbito de organizações como o Banco Mundial (BM) ou a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), usados até à exaustão em relatórios, exames e inquéritos estatísticos comparados, e que se tornaram um influente instrumento de regulação das políticas públicas.

A Rede propiciou a criação de fortes laços de cooperação científica e académica, assim como o desenvolvimento de novos projetos, tanto de natureza bilateral como multilateral. O resultado mais importante do trabalho desenvolvido foi, sem dúvida, a transferência de conhecimentos entre as equipas, em termos de epistemologias, metodologias e práticas. Essa aprendizagem recíproca permitiu fortalecer a formação avançada, a participação dos investigadores em congressos e seminários internacionais e aumentar as publicações das equipas e consequentemente o impacto no seio das suas comunidades científicas.

Terminada a ligação ao Programa CYTED, houve que procurar outras fontes de financiamento. O programa Alfa, programa da Comissão Europeia que tem como objectivo principal fomentar a cooperação entre Instituições de Ensino Superior (IES) da União Europeia (UE) e da América Latina (AL), foi a alternativa procurada, permitindo alargar a Rede e construir um projeto de intervenção forte, que contribuisse para a melhoria da qualidade, pertinência e democratização do Ensino Superior na América Latina, bem como para o processo de integração regional na AL, propiciando o avanço para a criação de uma área comum de Ensino Superior na região e potenciando as suas sinergias com o sistema universitário da UE.

A desigualdade e a exclusão foram entendidas como duas características dominantes nas IES da AL (e, em medida diferente, na própria UE). Na abordagem da problemática da luta contra essas duas fortes marcas, privilegiou-se uma perspectiva que emanasse do interior das próprias instituições de ensino superior (políticas de inclusão nas IES, sistemas de governo, pertinência dos programas universitários), no quadro dos respectivos sistemas de educação nacional, e num contexto regional e mundial, onde a Educação e a Ciência constituem duas áreas fortemente globalizadas. Partiu-se do reconhecimento da necessidade de manter um elevado grau de colaboração entre as IES participantes na rede (a construção e implementação de uma agenda comum para a equidade e de políticas e normas adequadas a cada contexto), o que permitiu identificar causas e fatores determinantes na situação existente, e apresentar (e concretizar) algumas propostas visando superar processos e mecanismos que excluem da frequência (e do sucesso) na educação superior populações inteiras (grupos étnicos indígenas, afro-descendentes, pobres, portadores ou em situação de deficiência, minorias).

Neste cenário, a ação proposta no âmbito do projeto Riaipe3 adequou-se ao objetivo do Programa Alfa III: reforma e modernização das instituições e dos sistemas de Educação Superior nos países beneficiários, prestando especial atenção aos grupos menos favorecidos ou vulneráveis e aos países mais pobres da região. O objetivo geral do projeto prendeu-se com o incremento substantivo e melhoria qualitativa da equidade e da pertinência social nas IES, tendo como objetivo específico o desenvolvimento de um Programa Marco Interuniversitário (PMI) que favoreça a transformação estrutural das IES, através de modelos de intervenção que melhorem a pertinência das funções universitárias no desenvolvimento social equilibrado, potenciando a equidade e a coesão social.

Na rede designada RIAIPE3 participaram 31 instituições da UE e AL, tendo as equipas um leque muito vasto de professores, investigadores e administradores das universidades participantes, das áreas da educação, da sociologia, da ciência política, da história, da engenharia, da filosofia, da administração e doutras áreas científicas. O RIAIPE3 situou as próprias universidades no centro nevrálgico das mudanças nos sistemas de Educação Superior, convertendo-as em agentes ativos dos processos de coesão e desenvolvimento a partir de uma perspectiva de conhecimento situado nos planos local, nacional, regional e internacional. A lógica das ações foi dirigida ao fortalecimento e consolidação (empowerment) das universidades como agentes sociais e ao reforço das suas estruturas, suas possibilidades e sua coordenação para estabelecer critérios de elevado impacto social, ao mesmo tempo em que se pretende estabelecer como ponto de referência para outras redes, instituições e agentes sociais.

A proposta de GT que agora se apresenta à CLACSO tem objetivos muito mais limitados (até pelos meios financeiros disponíveis), mas que recorre a essa vasta experiência anterior de trabalho conjunto, procurando desenvolver e ampliar conhecimento em novas áreas (nos planos científicos e dos espaços mundiais) envolvendo as Universidades e as Políticas de Educação Superior. O GT inclui um total de 108 investigador@s, com uma equilibrada representação de género, pertencendo (ou trabalhando) em instituições de ensino superior de 17 países diferentes, da América Latina e Caraíbas, de África, da América do Norte e da Europa. O GT inclui tanto investigador@s que são referências mundiais nos campos da Educação Comparada e das Políticas de Educação Superior, como jovens investigador@s em formação (estudantes de mestrado e doutoramento), com pesquisas relacionadas com os objetivos fixados para o GT. O GT será coordenado por Dante Castillo, Diretor Executivo do Programa Interdisciplinario de Investigaciones en Educación (PIIE), do Chile, e por António Teodoro, Diretor do Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimentos (CeiED-ULHT), de Portugal, e Professor Visitante no PPGE da Universidade Nove de Julho (PPGE-UNINOVE), do Brasil. O PIIE, o PPGE-UNINOVE e o CeiED-ULHT são membros associados do CLACSO. Tanto o PIIE, no caso de Dante Castillo, como o CeiED-ULHT e o PPGE-UNINOVE, no caso de António Teodoro, se comprometem a criar as condições e facilidades necessárias para a coordenação e dinamização do GT Universidades e Políticas de Educação Superior.

3. Fundamentación y análisis de la relevancia teórica del tema frente al contexto analizado.

Os sistemas de educação superior passaram por uma intensa transformação e experimentaram, sobretudo na segunda metade do século XX, uma extraordinária expansão. O número de estudantes matriculados em todo o mundo multiplicou-se por mais de seis vezes entre 1960 e 1995, passando de 13 milhões em 1960 para 82 milhões, em 1995, e chegando, em 2007, a 150 milhões de estudantes a nível mundial.

Uma das forças motrizes dessa expansão foi o entendimento de que a investigação científica, a inovação tecnológica e a qualificação das populações são fatores determinantes na geração de riqueza, da qual dependem, em última instância, os sistemas de bem-estar social e de segurança cidadã. A concorrência cada vez mais globalizada tem vindo a exigir um conhecimento novo e rapidamente aplicável, tornando o ciclo de inovação tecnológica mais breve, em quase todas as áreas da produção e da sociedade. O ritmo de produção de conhecimento científico, no princípio do século XXI, dobrava a cada cinco anos, projetando-se que, em 2020, possa duplicar a cada 73 dias (Tunnerman & Chauí, 2003).

Nas últimas três décadas, o discurso dominante na educação superior tornou-se uma forma de legitimação de uma nova ordem relacional, sustentada no mercado, nos sectores privados e de produção, na competitividade económica e na gestão centrada no cliente, inscrevendo-se esse novo paradigma de empresarialização da educação no movimento que valoriza as dimensões mensuráveis e comparativas, bem como da avaliação e prestação de contas permanentes. Trata-se de uma educação contábil (Lima, 2007), que se manifesta por uma obsessão pela eficácia, pela eficiência, pelo sistemático recurso a metáforas do campo económico e por um discurso omnipresente da qualidade, da avaliação, dos resultados e do rigor.

Em muitos países, assistiu-se a profundas alterações nos modos de governo das universidades, tomando como modelo e aproximando-se dos modos de gestão empresarial. Como consequência direta da aplicação das teorias do new public management, os modos de participação coletiva (de professores, de investigadores, de estudantes) na definição das políticas científicas e de formação foram considerados ineficazes e substituídos pela palavra e influência de stakeholders, por definição exteriores à universidade. Os Reitores passaram a ser escolhidos como os CEO (chief executif officer) das empresas e a atuar segundo idênticos padrões de eficácia. Mesmo quando essas mudanças não se realizaram, assistiu-se à entrada progressiva de novas formas de gestão, assentes sobretudo na contratualização e terciarização de serviços.

A mais significativa mudança material que sustenta o neoliberalismo no século XXI é a subida do peso relativo do conhecimento como capital (Tunnerman & Chauí, 2003; Olssen & Peters, 2005). Nesse ambiente, o papel do ensino superior na competição e concorrência económicas assumiu uma ainda maior importância. As universidades são apresentadas como as principais impulsionadoras do crescimento económico na economia do conhecimento, pelo que são incentivadas a desenvolver estreitos laços com a indústria e os negócios, a partir de um conjunto diversificado de parcerias.

O neoliberalismo falhou completamente como modelo de desenvolvimento económico, mas, como política de cultura, continua (ainda) em força, fruto de se ter tornado um senso comum que molda a ação dos governos e dos responsáveis pela educação (Torres, 2011). Construir outras racionalidades, que valorizem a dimensão humana do desenvolvimento, é um dos objetivos centrais do GT que agora se propõe.

A América Latina foi a primeira região onde as políticas neoliberais foram implementadas, após o golpe militar do general Pinochet no Chile em 1973. Depois, nos anos 1980, em resultado da séria crise das dívidas externas em vários países (Argentina, México, Brasil, entre vários outros países de menor dimensão demográfica e expressão económica), verificou-se a intervenção do Banco Mundial e do FMI, no sentido de reestruturar as suas economias e de reduzir o défice fiscal, seguindo a tradicional ortodoxia dessas instituições: desvalorização da moeda, privatização das empresas públicas, remoção das barreiras alfandegárias, diminuição acentuada das despesas públicas com educação, saúde e habitação (Espinoza, 2002). Na educação, as políticas encetadas significaram privatização do provimento de educação (particularmente na educação superior), descentralização, avaliação e accountability (Arnove, Franz, Malis & Torres, 2003; Gazzola & Didriksson, 2008). Em muitos países da América Latina, a matrícula na educação superior em instituições privadas ultrapassou os 60%, a maioria de carácter comercial e de muito baixa qualidade científica – conhecidas como universidades “garagem” ou universidades “patito” (Fernandez Lamarra, 2010).

O século XXI trouxe mudanças neste panorama. A eleição de governos progressistas e de esquerda em alguns países latino-americanos, ligados em geral a movimentos sociais e étnicos com forte implantação e grandes tradições de luta e resistência às políticas neoliberais, permitiu desenvolver políticas de redistribuição de riqueza e de satisfação de necessidades básicas das populações mais carenciadas. Ao mesmo tempo, em países com fortes comunidades indígenas, houve um reconhecimento das culturas desses povos e o desenvolvimento de políticas interculturais (para o caso da Bolívia, ver Teodoro, Mendizábal, Lourenço & Villegas, 2013). As universidades e a educação em geral voltaram a ter mais recursos públicos, havendo, em diversos países, políticas de ação afirmativa visando populações historicamente afastadas da educação superior (afro-descendentes, comunidades indígenas, estudantes pobres).

Algumas políticas de experimentação institucional merecem referência particular. No Brasil, a ação dos governos pós-neoliberais de Lula e Dilma (Sader, 2013) também se centrou na criação de universidades populares (Santos, Mafra & Romão, 2013), apresentando perfis diferenciados e respondendo a objetivos específicos de ação política. Umas, como a Universidade Federal da Fronteira Sul, resultaram de uma forte ligação aos movimentos sociais, em particular aos movimentos do campo. Outras, como a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), ou a Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), a opções de natureza geoestratégica da política externa brasileira. Outras ainda, como a Universidade Federal do Sul da Bahia, a profundas mudanças na arquitetura curricular, na organização do tempo letivo e na ligação à escola pública e aos sectores sociais mais pobres e marginalizados da região (quilombolas, populações indígenas, camponeses pobres sem terra).

A América Latina será o ponto de partida para os trabalhos do GT agora proposto. Mas não será o único locus de análise, pois o GT engloba pesquisadores de outras regiões do sistema mundial, com outras vivências e experiências. No plano da estratégia metodológica, o GT assumirá diferentes escalas de análise: o supranacional, focando nas orientações de política educacional das agências intergovernamentais (e.g. OCDE, Banco Mundial, UNESCO, OEI, União Europeia, Mercosul); o nacional, centrado em casos específicos de certos estados e das suas interpretações e estratégias; o institucional, estudando algumas específicas instituições de educação superior; e, finalmente, o nível de análise individual, ou seja, como os diferentes atores (profissão académica, stakeholders, estudantes, movimentos sociais, empresariado) participam nas mudanças educacionais. Neste campo, o GT tomará em devida atenção as recomendações de Dale e Robertson (2008) sobre a importância de, nas análise de política educacional, se ultrapassarem os quatro ismos: o nacional (ismo); o estatal (ismo); o espaço (ismo) e o educação (ismo).

Arnove, R. F., Franz, S., Molis, M. & Torres, C. A. (2003). Education in Latin America. Dependency, underdevelopment, and inequality. In R. F. Arnove & C. A. Torres (Eds.). Comparative Education: The Dialetic of the Global and the Local (pp. 313-337). Laham, LD: Rowman & Littlefield.

Espinoza, E. (2002). The Global and the National Rhetoric of Educational Reform and the Practice of (In) equity in the Chilean Higher Education System, 1981-1998. Thesis doctoral. School of Education, University of Pittsburgh, Pittsburgh. Disponível em at http://proquest.umi.com/pqdlink?Ver=1&Exp=02-25-2016&FMT=7&DID=765190531&RQT=309&attempt=1&cfc=1

Fernandez Lamarra, N. (2010). Hacia una nueva agenda de la educación superior en América Latina. Mexico, DF: ANUIES.

Gazzola, A. L. & Didriksson, A. (Eds) (2008). Trends in Higher Education in Latin America and the Caribbean. Caracas: IESALC-UNESCO.

Lima, L. C. (2007). Educação ao Longo da Vida. Entre a Mão Direita e a Mão Esquerda de Miró. São Paulo: Cortez Editora.

Olssen, M. & Peters, M. A. (2005). Neoliberalism, higher education and the knowledge economy: from the free market to knowledge capitalism. Journal of Education Policy, 20(3), 313-345.

Sader, E. (org.) (2013). Dez Anos de Governos Pós-Neoliberais: Lula e Dilma. São Paulo: Boitempo Editorial/FLACSO Brasil.

Santos, E., Mafra, J. F. & Romão, J. E. (Org.) (2013). Universidade Popular. Teorias, práticas e perspectivas. Brasília: Liber Livro.

Teodoro, A., Mendizabal Cabrera, C. H., Lourenço, F. & Villegas Roca, M. (coord.) (2013). Interculturalidad y educación superior. Desafios de la diversidade para un cambio educativo. Buenos Aires: Editorial Biblos.

Torres, C. A. (2011). Public universities and the neoliberal common sense: seven iconoclastic theses. International Studies in Sociology of Education, 21(3), 177-197.

Tunnerman Bernheim, C. & Chaui, M. S. (2008). Desafios da Universidade na Sociedade do Conhecimento. UNESCO Forum Occasional Papers Series. Brasília: UNESCO Brasil. Disponível em http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001344/134422por.pdf. Acesso em 05.04.2016.
4. Plan de trabajo trienal (36 meses).
OBJETIVOS
ACTIVIDADES
RESULTADOS ESPERADOS
PRODUCCIÓN DE CONOCIMIENTO
(Investigación)
Produzir conhecimento sobre as seguintes problemáticas:

1. A comparação em educação como instrumento político versus a comparação de problemas a partir de ‘novos olhares’
a) Processos de transferência, empréstimo e convergência de políticas e a comparação em educação
b) ‘Novos olhares’ para além dos quatro ‘ismos’: estado(ismo), nacional(ismo), espaço(ismo), educação(ismo).
c) Cartografia dos estudos comparativos nos países envolvidos no projeto

2. Transnacionalização e financeirização da educação superior
a) Mapeamento das dimensões público-privado em diferentes regiões e países
b) A financeirização da educação superior: estudos de caso
c) As consequências nas políticas de expansão da educação superior: as universidades “for profit” (ou vikings) e as mudanças nas suas missões institucionais

3. A democratização das universidades e da educação superior. As universidades dos movimentos sociais, universidades populares e universidades interculturais - o diálogo de epistemologias, hegemónicas e contra-hegemónicas. A problemática da descolonização da educação superior
a) Mapeamento de iniciativas que podem ser enquadradas numa destas categorias. Realização de alguns estudos de caso, visando conhecer os modos como essas iniciativas respondem a modelos institucionais de fomento à inclusão, permanência e inovação político-pedagógica
b) Políticas de acesso e de permanência na educação superior
c) As respostas pedagógicas a novos públicos

4. As universidades e a formação d@s professor@s
a) Mapeamento de modelos de formação na América Latina e Europa e das expressões curriculares desses modelos
b) Análise de experiências inovadoras
e) A profissão académica: uma análise sobre as perspectivas de precarização no ensino superior
f) Mapeamento de iniciativas que visam a avaliação da qualidade dos processos de ensino-aprendizagem no contexto universitário.

5. Geopolítica do conhecimento mundial: sociedade do conhecimento, regulação transnacional e dialética local/global
a) Tendências e modelos de governance das instituições de educação superior
b) Políticas científicas e circulação do conhecimento
c) Critérios de validação da produção acadêmica e de sua circulação: análise do oligopólio editorial em ciência
d) Regionalismos e implicações nas políticas de educação superior:
(i) internacionalização, integração e políticas intersetoriais
(ii) regionalismos do Sul Global e suas implicações nas políticas de educação
superior: BRICS. MERCOSUL e CPLP novas experiencias de convergencia interregional
1. Realização de um Curso de Pós-Graduação sobre as questões epistemológicas, metodológicas e políticas ligadas à comparação em educação, designadamente em educação superior, com base na crítica de Roger Dale e de Susan Robertson aos quarto ‘ismos’ enquanto vícios metodológicos na análise das políticas do ensino superior. As áreas políticas a ter em consideração para a seleção dos estudos comparativos são as seguintes: políticas de acesso, de avaliação, de financiamento e de modelos de governação dos sistemas e das instituições.
Esse curso terá várias edições, tanto presenciais como nas modalidades e- e b-learning. E integrará alguns dos programas de doutoramento participantes.

2. Conferências e seminários científicos sobre as problemáticas apresentadas nos objetivos. O plano completo dessas atividades será apresentado em função dos financiamentos que se puderem associar ao GT.

3. No que respeita ao objetivo 3, serão realizadas as seguintes atividades:
a) mapeamento das pesquisas já realizadas sobre a problemática da descolonização da educação superior, sobretudo em artigos publicados e dissertações e teses já finalizadas;
b) Realização de um seminário interinstitucional para discussão dos fundamentos e horizontes epistemológicos da descolonização da educação superior;
c) Comparação entre os diversos modelos sugeridos: universidade popular dos movimentos sociais (UPMS); universidades populares e universidades interculturais- encontro de experiências entre os diversos pesquisadores que trabalham estes modelos;
d) Organização de publicações decorrentes destas experiências e destes debates.
1. Doutoramentos
Na lista dos investigadores propostos figuram estudantes de doutoramento (e mestrado) de vários programas: NIFEDE-UNTREF, Argentina; CeiED-U. Lusófona, CIED-U. Nova de Lisboa, Portugal; PPGE-UNINOVE, PPGE-UFPB, Brasil; U. Amiens, França. Um dos resultados esperados são as teses e dissertações realizadas por esses estudantes, todas elas centradas em problemáticas apresentadas nos objetivos.

2. Publicações
a) Preparação de dossiers em revistas científicas internacionais dos centros associados e participantes, com expressão e difusão nos países e regiões dos membros do GT.
b) Apresentação de uma proposta estruturada às Publicações CLACSO, permitindo a difusão por todos os centros associados.
c) Publicação de alguns livros coletivos temáticos, com metodologias comuns e, sempre que possível, com autorias partilhadas.
DIFUSIÓN DEL CONOCIMIENTO
(Acciones de formación, visibilización, confrontación de la producción)
1. Ampliação do diálogo epistemológico, teórico e metodológico entre investigadores de diferentes proveniências e experiências (de campos científicos, de espaços regionais, de género, de raça/etnia).

2. Incremento dos níveis de publicação científica dos membros do GT, tanto dos elementos juniores como dos elementos seniores. Será dado particular incentivo à publicação conjunta envolvendo investigadores de diferentes países e espaços do sistema mundial.
1. Construção de um website e de uma plataforma interativa que potencialize as redes subjacentes ao GT, tendo como centro a problemática das Universidades e das Políticas de Educação Superior

2. Cursos de pós-graduação (e-learning):
a) Educação Comparada: questões epistemológicas, metodológicas e políticas nos estudos ligados à comparação em educação superior
b) Políticas de Educação Superior numa perspectiva comparada: contextos e tendências

3. Conferências / Seminários
As iniciativas científicas referidas na categoria anterior serão abertas a todos os interessados, de forma a constituírem amplas oportunidades de debate e difusão do conhecimento produzido.

4. Seminarios nacionais aproveitando sinergias com outras redes e instituições de I&D.
O princípio base de todo o trabalho realizado será o do open acces e do trabalho cooperativo entre os investigadores e a sua partilha com a comunidade académica, os responsáveis políticos e administradores, os stakeolders.

O que nesta coluna se escreveu, na categoria "produção de conhecimento", faz também parte do que se propõe como difusão do conhecimento.

O GT, se conseguir reunir condições materiais e humanas - financiamento para a construção da plataforma informática e ter afetos pós-doutorandos, terá uma newsletter a que se dará a mais ampla difusão.
RELACIONAMIENTO CON POLÍTICA PÚBLICA Y ORGANIZACIONES SOCIALES
(Escuelas, espacios de debate, medios, intervención sistemas de ciencia y tecnología, etc.)
O GT desenvolve a sua atividade tomando como princípio-chave o que Michael Burowoy designa por "sociologia pública". É nesse quadro que o relacionamento com as políticas públicas e as organizações sociais se desenvolverá.
O GT inclui uma grande diversidade de membros: reitores e responsáveis de universidades e suas unidades orgânicas, sindicalistas, responsáveis de associações científicas, nomeadamente no campo da Educação Comparada, diretores de centros de I&D.
O GT privilegiará as relações com essas organizações sociais, internas e externas à universidade e às instituições de ensino superior, de forma a que os seus trabalhos tenham a mais ampla relevância social.
1. Construção de uma rede de experts em políticas de educação superior, tendo em conta diversas dimensões:
- políticas de equidade e de acesso;
- governance, financiamento e gestão de instituições
- avaliação e acreditação
- políticas e gestão de I&D (investigação e desenvolvimento)
- formação de professores
ARTICULACIÓN CON OTRAS REDES Y PROGRAMAS
(Latinoamericanas, caribeñas y mundiales)
O GT agora proposto é já o resultado de uma rede que se vem constituindo desde 2006 e que, com um financiamento do Programa Alfa III da Comissão Europeia, no periodo 2010-2013, se consolidou sob a designação de Rede RIAIPE, agrupando 31 equipas de 12 países da América Latina e 7 da União Europeia. Hoje, essa rede se mantém sob a coordenação do PIIE, Chile, e do CeiED, Portugal.

Na equipa figuram investigadores (e administradores) integrando diferentes redes e grupos de pesquisa (alguns deles registados nas agências de fomento nacionais, como o CNPq, no Brasil, e com forte atividade e produção científica). É intenção nossa aproveitar esse enorme capital. Particular atenção será dada a África, em geral ausente da atividade científica mundial. A presença de uma investigadora que desempenha funções de direção na Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) facilitará esse alargamento de perspectivas de trabalho.

Para além disso, o GT estabelecerá uma ligação privilegiada com um outro GT CLACSO, já em funcionamento, intitulado “Ciencia social politizada y móvil en y para una agenda latinoamericana de investigaciones orientada a prioridades desde la universidad”, bem como com a Red Latinoamericana de estudios sobre el impacto de la evaluación y acreditación universitaria (RELIE). A equipa da UNTREF, Argentina, possui uma cátedra UNESCO, "Educación y Futuro en América Latina. Reformas, cambios e innovaciones”, que estará associada aos trabalhos do GT.
O GT inclui, entre os seus membros, o Presidente do World Council for Comparative Education Societies (WCCES), o Presidente da Sociedade Iberoamericana de Sociedades de Educação Comparada (SIBEC) e vários presidentes de sociedades nacionais (Argentina, Portugal, Uruguay). Diversas iniciativas serão tomadas em paralelo com atividades dessas organizações científicas, rentabilizando esforços e meios, e ampliando a capacidade de alargamento a outros investigadores do campo das políticas de educação superior.
Reforço da cooperação universitária Sul-Norte e Sul-Sul.

5. Integrantes del Grupo de Trabajo
Total de investigadores ingresados: 111
Adelina Alexandra Carlos Pio De Kandingi
Instituto Superior de Ciências da Educação de Luanda, Angola
Angola
Adriana Chiancone
Centro Latinoamericano de Economía Humana/ Instituto Universitario CLAEH - CLAEH
Uruguay
Agustín De La Herrán Gascón
Facultad de Formación de Profesorado y Educación, Universidad Autónoma de Madrid
España
Aiello Martin
Núcleo Interdisciplinario de Formación y Estudios para el Desarrollo de la Educación – NIFEDE
Universidad Nacional de Tres de Febrero
Argentina
Alexandra Montané López
Universitat de Barcelona
España
Almerindo Janela Afonso
Instituto de Educação, Universidade do Minho
Portugal
Altair Alberto Fávero
Universidade de Passo Fundo, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas,
Brasil
Amarildo Luiz Trevisan
Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Educação, Departamento de Fundamentos da Educação.
Brasil
Amélia Veiga
Centro de Investigação em Políticas de Educação Superior (CIPES)
Portugal
Ana Benavente
Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - CeiED/ULHT
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia

Portugal
Ana Cunha
Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - CeiED/ULHT
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia

Portugal
Ana Isabel Iglezias
Escuela de Humanidades - EHU/UNSAM
Universidad Nacional de San Martín

Argentina
Ana Maria Cambours De Donini
Centro de Estudios Latinoamericanos - CEL/UNSAM
Escuela de Humanidades
Universidad Nacional de San Martín

Argentina
Ana Maria Seixas
Centro de Estudos Sociais - CES/UC
Faculdade de Economía
Universidade de Coimbra

Portugal
André D. Robert
ISPEF, Université Lumière Lyon 2
Francia
Angelo Del Vecchio
Escola de Sociologia e Política de São Paulo
Brasil
António Magalhães
Centro de Investigação em Políticas de Educação Superior (CIPES)
Portugal
António Teodoro
Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - CeiED/ULHT
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia

Portugal
Arlinda Cabral
CPLP - Comunidade dos Países de Língua Portuguesa & CICS.NOVA – Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais da Universidade Nova de Lisboa
Portugal
Armando Alcantara
instituto de Investigaciones sobre la Universidad y la Educación (IISUE), UNAM
México
Bartolomeu Lopes Varela
Universidade de Cabo Verde
Cabo Verde
Boris Rafael Tristá Pérez
Centro de Estudios para el Perfeccionamiento de la Educación Superior - CEPES/UH
Universidad de la Habana

Cuba
Camila Ferreira Da Silva
CIED - Universidade Nova de Lisboa
Portugal
Carla Galego
Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - CeiED/ULHT
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia

Portugal
Carlos Alberto Martín Mundt
Secretaría Académica - SA-UNTREF
Universidad Nacional de Tres de Febrero

Argentina
Carlos Alberto Martín Torres
Graduate School of Education and Information, University of California at Los Angeles (UCLA)
Estados Unidos
Carmen Monteiro Fernandes
Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UNINOVE
Universidade Nove de Julho

Brasil
Catia Piccolo Viero Devechi
Faculdade de Educação, Universidade de Brasília
Brasil
Célia Gonçalves Pires
Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - CeiED/ULHT
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia

Portugal
Celia Maria Haas
Universidade Cidade de São Paulo (UNICID)
Brasil
Celia Maria Haas
-
Célio Da Cunha
Universidade Católica de Brasília
Brasil
Celso Do Prado Ferraz De Carvalho
Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UNINOVE
Universidade Nove de Julho

Brasil
Clara Ninfa Almada Ibáñez
Facultad de Ciencias Sociales-UNA - FACSO-UNA
Universidad Nacional de Asunción

Paraguay
Claudia Regina Iriarte Cárcamo
Dirección de Investigación Científica - DICU/UNAH
Universidad Nacional Autónoma de Honduras

Honduras
Clovis Nicanor Kassick
Universidad do Sul de Santa Catarina (UNISUL)
Brasil
Conceição De Maria Ferreira Luz Garcez
Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - CeiED/ULHT
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia

Portugal
Cristian Gonzalo Perez Centeno
Núcleo Interdisciplinario de Formación y Estudios para el Desarrollo de la Educación – NIFEDE
Universidad Nacional de Tres de Febrero
Argentina
Cristinia Silvia Tommasi
Secretaría Académica - SA-UNTREF
Universidad Nacional de Tres de Febrero

Argentina
Daniela Perrotta
Centro de Estudios en Ciudadanía, Estado y Asuntos Políticos - CEAP
Facultad de Ciencias Sociales
Universidad de Buenos Aires

Argentina
Dante Miguel Castillo Guajardo
Programa Interdisciplinario de Investigaciones en Educación - PIIE
Chile
Eddy Ervin Eltermann
Instituto Federal Catarinense – Campus Avançado Sombrio
Brasil
Edineide Jezine
Centro de Educação, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Brasil
Eduardo Hernán Román Álvarez
Instituto de Estudios Avanzados - IDEA/USACH
Universidad de Santiago de Chile

Chile
Elia Marúm Espinosa
Centro Universitario de Ciencias Sociales y Humanidades - CUCSH/UDG
Universidad de Guadalajara

México
Emília Maria Da Trindade Prestes
Centro de Educação, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Brasil
Enrique Martinez Larrechea
Centro Latinoamericano de Economía Humana/ Instituto Universitario CLAEH - CLAEH
Uruguay
Florenvia Faierman
Secretaría de Investigación y Posgrado - SIPFyL/UBA
Facultad de Filosofía y Letras
Universidad de Buenos Aires

Argentina
Francisco Vergara Edwards
Programa Interdisciplinario de Investigaciones en Educación - PIIE
Chile
Francisco Javier Giménez Duarte
Universidad Nacional de Pilar
Paraguay
Francisco Maria Januário
Faculdade de Educação, Universidade Eduardo Mondlane
Moçambique
Gabriella De Camargo Hizume
Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Campus de Francisco Beltrão
Brasil
Geraldo António Da Rosa
PPGE - Universidade de Caxias do Sul
Brasil
Gionara Tauchen
Universidade Federal do Rio Grande (FURG)
Brasil
Gladys Beatriz Barreyro
Programa de Pós-Graduação em Integração da America Latina - PROLAM/USP
Universidade de São Paulo

Brasil
Hector Monarca
Universidad Autónoma de Madrid. Facultad de Formación de Profesorado
España
Jaana Flávia Fernandes Nogueira
Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE
Brasil
Javier Campos Martinez
Programa Interdisciplinario de Investigaciones en Educación - PIIE
Chile
Javier Pablo Hermo
Secretaría de Investigación y Posgrado - SIPFyL/UBA
Facultad de Filosofía y Letras
Universidad de Buenos Aires

Argentina
Jean-Claude Regnier
ISPEF, Université Lumière Lyon 2
Francia
José Beltrán Llavador
Facultad de Ciencias Sociales, Universidad de Valencia
España
José Arnaldo Vitagliano
Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UNINOVE
Universidade Nove de Julho

Brasil
José Eduardo Santos
Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UNINOVE
Universidade Nove de Julho

Brasil
José Viegas Brás
Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - CeiED/ULHT
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia

Portugal
Joviles Vitório Trevisol
Universidade Federal da Fronteira Sul
Brasil
Julieta Andrea Claverie
Secretaría Académica - SA-UNTREF
Universidad Nacional de Tres de Febrero

Argentina
Karina Fabiana Lastra
Escuela de Humanidades - EHU/UNSAM
Universidad Nacional de San Martín

Argentina
Laureana Yujra Arisaca
Colegio de Sociólogos de La Paz
Bolivia
Leticia Carneiro Aguiar
Universidad do Sul de Santa Catarina (UNISUL)
Brasil
Liliana Rodrigues
Universidade da Madeira
Portugal
Luciana Prestes
Middle Tennessee State University
Estados Unidos
Luiz Monteiro Teixeira
Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UNINOVE
Universidade Nove de Julho

Brasil
Manuel Tavares Gomes
Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UNINOVE
Universidade Nove de Julho

Brasil
Mara Juliane Woiciechoski Helfenstein
Instituto Federal Catarinense – Campus Avançado Sombrio
Brasil
Maria Da Graça Nobrega Bollmann
Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL)
Brasil
Maria De Fátima Costa De Paula
Programa de Pós-Graduação em Educação - ESE/UFF
Faculdade de Educação
Universidade Federal Fluminense

Brasil
Maria Eugenia Grandoli
Secretaría Académica - SA-UNTREF
Universidad Nacional de Tres de Febrero

Argentina
Maria Fernanda Arias
Escuela de Humanidades - EHU/UNSAM
Universidad Nacional de San Martín

Argentina
Maria Fernanda Juarros
Secretaría de Investigación y Posgrado - SIPFyL/UBA
Facultad de Filosofía y Letras
Universidad de Buenos Aires

Argentina
Maria Neves Gonçalves
Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - CeiED/ULHT
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia

Portugal
Mariana Gaio Alves
UIED & DCSA, Faculdade de Ciências e Tecnologias, Universidade Nova de Lisboa
Portugal
Marilia Gabriella Duarte Fialho
centro de Educação, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Brasil
Mário Moutinho
Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - CeiED/ULHT
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia

Portugal
Maurício Pedro Silva
Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UNINOVE
Universidade Nove de Julho

Brasil
Naomar Monteiro De Almeida Filho
Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)
Brasil
Natalia Luisa Coppola
Universidad Nacional de Pilar
Paraguay
Norberto Rafael Fernandez Lamarra
Núcleo Interdisciplinario de Formación y Estudios para el Desarrollo de la Educación – NIFEDE
Universidad Nacional de Tres de Febrero
Argentina
Nuno Fraga
Universidade da Madeira
Portugal
Oana Marina Panait
Université catholique de Louvain-Mons
Bélgica
Oana Marina Panait
Université catholique de Louvain-Mons
Bélgica
Pablo Daniel Garcia
Núcleo Interdisciplinario de Formación y Estudios para el Desarrollo de la Educación – NIFEDE
Universidad Nacional de Tres de Febrero
Argentina
Paola Andreucci
Centro de Investigación en Educación - CIE/UCINF
Universidad UCINF

Chile
Paulino Lima Fortes
Universidade de Cabo Verde
Cabo Verde
Paulo Peixoto
Centro de Estudos Sociais - CES/UC
Faculdade de Economía
Universidade de Coimbra

Portugal
Raquel Da Silva Santos
Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UNINOVE
Universidade Nove de Julho

Brasil
Reinaldo Da Costa Junior
Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UNINOVE
Universidade Nove de Julho

Brasil
Rialberth Matos Cutrim
Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - CeiED/ULHT
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia

Portugal
Rialberth Matos Cutrim
Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - CeiED/ULHT
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia

Portugal
Rosa Maria Massón Cruz
Centro de Estudios para el Perfeccionamiento de la Educación Superior - CEPES/UH
Universidad de la Habana

Cuba
Rosane Carneiro Sarturi
-
Rosane Carneiro Sarturi
-
Sabrina Grisi Pinho De Alencar
Centro de Educação, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Brasil
Sandra Rosa Gomes Dos Santos
Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UNINOVE
Universidade Nove de Julho

Brasil
Sérgio Ricardo Silva Gacki
Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA
Brasil
Silvia Yolanda Llomovatte
Secretaría de Investigación y Posgrado - SIPFyL/UBA
Facultad de Filosofía y Letras
Universidad de Buenos Aires

Argentina
Sirleide Carla De Oliveira Silca
centro de Educação, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Brasil
Sofia Lerche Vieira
Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UNINOVE
Universidade Nove de Julho

Brasil
Stella Maris Muiños De Britos
Escuela de Humanidades - EHU/UNSAM
Universidad Nacional de San Martín

Argentina
Suélen De Pontes Alexandre
Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UNINOVE
Universidade Nove de Julho

Brasil
Ulysses Tavares Carneiro
Instituto Federal Catarinense – Campus Avançado Sombrio
Brasil
Yeni Delgado Brito
Centro de Estudios para el Perfeccionamiento de la Educación Superior - CEPES/UH
Universidad de la Habana

Cuba
6. Coordinador/es del Grupo de Trabajo
António Teodoro Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - CeiED/ULHT
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia
Portugal
Dante Miguel Castillo Guajardo Programa Interdisciplinario de Investigaciones en Educación - PIIE
Chile