19 de agosto, 2019

A grave situação do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico no Brasil

Os/as coordenadores/as dos Programas de Pós-Graduação em Sociologia e Ciências Sociais reunidos no Seminário de Meio-Termo da Capes nos dias 15 e 16 de agosto de 2019, para aprimorar os parâmetros de avaliação da área, manifestam sua preocupação com as recentes notícias relativas à suspensão de novas bolsas e editais e ao exaurimento dos recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) para honrar os compromissos assumidos com a comunidade acadêmica.

Todo o trabalho que realizamos neste Seminário é um esforço da comunidade de discentes, docentes e técnicos envolvidos na produção científica da área, resultado dos investimentos da sociedade no seu desenvolvimento social, econômico e cultural. Os recursos do CNPq são parte fundamental deste investimento e da garantia da qualidade de nossa produção científica e de nosso reconhecimento nacional e internacional.

Face à grave situação pela qual passa o CNPq com ameaça real de corte de bolsas e recursos para a ciência, a Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (ANPOCS) apoia a petição lançada pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) que pode ser acessada no link:

https://www.change.org/p/parlamentares-do-congresso-nacional-somos-todos-cnpq

Igualmente, Miriam Grossi, presidenta da ANPOCS, pede apoio e ampla divulgação do abaixo-assinado entre docentes e discentes de seu programa.

EM DEFESA DOS RECURSOS PARA O CNPQ E CONTRA A SUA EXTINÇÃO

Nós, entidades científicas e instituições de ensino e pesquisa, pesquisadores, professores, estudantes, técnicos, empresários, profissionais liberais, trabalhadores, cidadãs e cidadãos brasileiros que se preocupam com o desenvolvimento científico e tecnológico do Brasil, nos dirigimos às autoridades máximas do País e aos parlamentares do Congresso Nacional, por meio deste abaixo-assinado, em defesa de recursos adequados para o Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico – CNPq e contra a sua extinção.

Manifestamos grande preocupação diante da grave situação orçamentária e financeira do CNPq, que coloca em risco décadas de investimentos em recursos humanos e na infraestrutura para pesquisa e inovação no Brasil. A comunidade científica tem alertado há meses, sem sucesso, o Governo Federal e o Congresso Nacional para o déficit de R$ 330 milhões no orçamento do CNPq em 2019. Se esta situação não for rapidamente alterada, haverá a suspensão do pagamento de todas as bolsas do CNPq a partir de setembro deste ano. Este fato, se concretizado, colocará milhares de estudantes de pós-graduação e de iniciação científica, no país e no exterior, em situação crítica para sua manutenção e para o prosseguimento de seus estudos, além de suspender as bolsas de pesquisadores altamente qualificados em todas as áreas do conhecimento. Em função dos drásticos cortes orçamentários para a Ciência, Tecnologia e Inovação, já se observa uma expressiva evasão de estudantes, o sucateamento e o esvaziamento de laboratórios de pesquisa, uma procura menor pelos cursos de pós-graduação e a perda de talentos para o exterior. Este quadro se acelerará dramaticamente com a suspensão do pagamento das bolsas do CNPq.

O CNPq tem sofrido, ainda, uma forte redução nos recursos de custeio operacional e séria limitação em seu pessoal técnico. Isto gera dificuldades crescentes na manutenção de seus programas e atividades, que são essenciais para o Sistema Nacional de CT&I.  Criado em 1951, o CNPq tem sido um vetor fundamental para o desenvolvimento da ciência e da tecnologia e, também, para a economia do País. O impacto positivo da pesquisa científica brasileira, nos diversos campos da atividade econômica e nas políticas públicas do País, é evidenciado por inúmeros casos de sucesso, como na saúde pública (por exemplo, a prevenção e controle do Zika), no enorme crescimento na produção de grãos, em particular a soja, em inúmeras inovações que melhoram a qualidade de vida dos brasileiros e na descoberta e exploração do Pré-sal. A nação não pode perder este patrimônio construído ao longo de décadas pelo esforço conjunto de cientistas e da sociedade brasileira.

Queremos a recomposição imediata do Orçamento do CNPq, em 2019, com um aporte suplementar de recursos da ordem de R$ 330 milhões para que ele possa cumprir os seus compromissos deste ano, em particular no pagamento das bolsas.

Conclamamos as instâncias decisórias do Executivo e do Legislativo Federal a reverterem imediatamente este quadro crítico de desmonte do CNPq e a colocarem também, no Orçamento de 2020, os recursos necessários ao funcionamento pleno do CNPq.

Consideramos inaceitável a extinção do CNPq, como sinaliza este estrangulamento orçamentário e uma política para a CT&I sem compromisso com o desenvolvimento científico e econômico do País e com a soberania nacional.

#somostodosCNPq